sexta-feira, 20 de maio de 2016

Estágio de Caçador de Operações Especiais do Exército Brasileiro

Texto elaborado por Rodney Alfredo Pinto Lisboa com colaboração da equipe de instrução do Estágio de Caçador de Operações Especiais do CIOpEsp (Centro de Instrução de Operações Especiais) do Exército Brasileiro. 

O Caçador é um militar especializado em executar o tiro a grandes distâncias, valendo-se de armas longas para efetuar fogo seletivo, a comando ou não, contra alvos humanos (caçador antipessoal) ou materiais (caçador antimaterial) escolhidos conforme sua importância e/ou pela dificuldade de serem abatidos por outros meios.
Em âmbito nacional, o Caçador é responsável por executar uma variada gama de missões, a saber:

  • Executar tiros de precisão a longa distância, respondendo a comando ou não, em alvos planejados, selecionados ou de oportunidade;
  • Apoiar as Ações de Comandos, realizando tiros seletivos sobre alvos de interesse da missão;
  • Utilizar as equipes de caçadores (comandante da equipe; caçador; observador [spotter]; rádio operador; auxiliar de saúde/segurança), atuando isoladamente ou em apoio às outras unidades do COpEsp (Comando de Operações Especiais), FCbmOpEsp (Força Combinada de Operações Especiais) ou CmdoTO (Comando do Teatro de Operações);
  • Integrar o Destacamento de Reconhecimento de Caçadores do 1° BAC (1° Batalhão de Ações de Comandos) ou o Destacamento de Contraterrorismo do  1° BFEsp (1° Batalhão de Forças Especiais), sendo responsável pelo planejamento do emprego de todos os caçadores envolvidos na ação.

Fotografia 1: Alunos do Estágio de Caçador de Operações Especiais executam a "zeragem" (ajuste da luneta) dos fuzis de precisão. (Foto: CIOpEsp).
No Brasil, o CIOpEsp (Centro de Instrução de Operações Especiais) do Exército é a única instituição que integra a atividade do Caçador de Operações Especiais em sua grade curricular. Desenvolvido dentro do ambiente conjunto e interagências, o referido estágio contempla instrutores e alunos da comunidade OpEsp das Forças Singulares e Forças Auxiliares. Para que possam frequentar o Estágio de Caçador de Operações Especiais ministrado pelo CIOpEsp o candidato deve atender aos seguintes requisitos:

  • Possuir o curso de Ação de Comandos para militares do EB, e cursos análogos nas outras Forças Singulares e Auxiliares;
  • Ter excelente performance como atirador; possuir equilíbrio mental e emocional; Não ser suscetível à ansiedade ou remorso;
  • Ser capaz de julgar uma situação de forma analítica; ter experiência em Ações de Comandos.

Fotografia 2: Estagiários preparam seus trajes ghillie para melhor se camuflar com o terreno visando uma avaliação de caçada. (Foto: CIOpEsp). 

O estágio atualmente em curso, teve início no dia dois de maio, com previsão de término para o próximo dia 10 de junho, período que, no curso de seis semanas, contempla todos os conteúdos estabelecidos para o programa.
Aproveitando a estrutura utilizada para o Treinamento Conjunto Interagências de Enfrentamento ao Terrorismo, ocorrido entre os dias nove e treze de maio, os alunos do Estágio de Caçador de Operações Especiais encontram-se na sede do COpEsp (Comando de Operações Especiais) em Goiânia-GO, para dar continuidade ao período de instruções realizadas durante a primeira fase do estágio, que é estruturado em três módulos distintos:
  1. Fase técnica – Onde são desenvolvidas competências relacionadas às técnicas de tiro, técnicas de caçador e técnicas de material.
  2. Fase de operações rurais – Onde são aprimoradas as capacidades inerentes ao reconhecimento especial.
  3. Fase de operações urbanas – Onde são aperfeiçoadas as habilidades atinentes ao reconhecimento especial, à ação direta mediante tiro de precisão e longa distância, e ao contraterrorismo.

Fotografia 3: Alunos confeccionam o croqui da área de tiro na caderneta para execução da avaliação de tiro a distâncias desconhecidas. (Foto: CIOpEsp).

Após duas semanas intensas de aprendizado na sede do CIOpEsp em Niterói-RJ, os futuros caçadores adquiriram conhecimento técnico sobre o tiro de precisão a longa distância, balística interna e externa, observação, memorização e descrição, busca, seleção e designação de alvos, e avaliações de distância. Submetidos a uma carga horária teórica que ultrapassa 80 horas/aula, os alunos adquiriram conhecimentos extremamente necessários para aprimorar as técnicas de tiro e de caçador.
No início desta semana (15/05) os estagiários se deslocaram para Goiânia-GO, onde permanecerão até 29/05 praticando as técnicas de tiro de campo que os distinguem como membros da comunidade OpEsp, entre as quais destacam-se: tiro embarcado em aeronave de asa rotativa (helicóptero); tiro embarcado em bote, tiro de distância desconhecida entre 200m e 1.000m; tiro noturno com equipamento de visão noturna, entre outras técnicas peculiares.

Figura 1: Bandeira dos Caçadores de Operações Especiais. (Fonte: Acervo do CIOpEsp).

Além de contribuir com apoio logístico, o COpEsp brindou o Estágio de Caçador de Operações Especiais com uma demonstração de material utilizado pelo 5° Destacamento Operacional de Forças Especiais, responsável pelas ações de assalto e reconhecimento especial/caçador, do 1° BFEsp, e do Destacamento de Reconhecimento e Caçadores, fração do 1° BAC que enquadra os caçadores mais experientes do COpEsp.
Ainda em Goiânia, os alunos terão a oportunidade de realizar o planejamento e execução de uma missão de Reconhecimento Especial empregando todas as técnicas já aprendidas até o momento sobre o Caçador de Operações Especiais.
Terminado o período de instruções ministrado no COpEsp, o Estágio de Caçador de Operações Especiais retornará a Niterói onde os alunos iniciarão a 3ª fase do programa.




7 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Precisa ter o curso de comandos pra pode fazer o de caçador

    ResponderExcluir
  3. caso eu seja sargento do exercito , como posso ser um caçador , tenho que fazer curso?

    ResponderExcluir
  4. Precisa ter o curso de comandos pra pode fazer o de caçador?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. existe o caçador de operações convencionais, e o caçador de operações especiais. o primeiro você pode fazer o curso sem ser comandos. o segundo apenas os comandos.

      Excluir